Uma viagem inesquecível ao Brasil

Atualizado: 12 de Fev de 2020

Oi, tudo bem! Nas últimas férias de inverno, junto com a Latin America Matters e 22 estudantes da Harris, fui ao Brasil, o quinto maior país do mundo. Nesta jornada de oito dias, estando a milhares de quilômetros de distância dos EUA, totalmente imerso na natureza, no sol e em uma linguagem, cultura e estilo de vida totalmente diferentes, fiquei profundamente impressionado com a vida agradável e tranquila que o povo brasileiro leva e com suas atitudes positivas e ricas em relação a todos os altos e baixos da realidade. Nunca esquecerei esta viagem incrível, todos os meus amigos e todas as coisas loucas que fizemos juntos.

Primeiro, quero compartilhar porque queria ir ao Brasil. Como estudante da China, por causa da distância, eu não conhecia a América Latina. Todo o meu conhecimento sobre o Brasil é de notícias, comércio entre China e Brasil, futebol e vôlei. Sei que as pessoas adoram música, dança e esportes. Imaginei que eles tivessem um modo de vida diferente, mas eu não sabia de nada. Quando tive a oportunidade de visitar o Brasil com um grupo bem organizado e com brasileiros, imaginei que seria capaz de entender a essência do país ao invés de um olhar superficial de tudo. Fico feliz em dizer que isso aconteceu.


A viagem foi dividida em duas partes: quatro dias no Rio de Janeiro e o restante na Floresta Amazônica. O Rio é a segunda maior cidade e o destino turístico mais popular e frequente do Brasil. É uma combinação perfeita de montanhas, mar, praia e cidade. Você pode ver tudo por lá: natureza, história, cultura, religião, e assim por diante. Para passear, o Corcovado é o meu lugar favorito na cidade. Fiquei impressionado com a vista extraordinária e nem queria sair da montanha. Em relação à cultura, fomos à Pedra do Sal e assistimos uma apresentação de samba ao vivo. A Pedra do Sal era um grande mercado de escravos na década de 1600 e hoje é um dos centros culturais e históricos do Rio. Vendo todas as pessoas intoxicadas pela música e pela dança, fiquei emocionado com a busca das pessoas pela liberdade em suas almas, sua aceitação pela miséria e sua esperança para o futuro.


Obviamente não esquecemos que somos estudantes de política. Tomamos café da manhã com Renan Ferreira, o representante do Estado do Rio de Janeiro, que falou sobre sua experiência e nos incentivou a nos dedicar ao serviço público. Ainda me lembro de como fiquei motivado quando ele disse que “os problemas mais complicados não estão realmente nas grandes empresas, mas nas escolas públicas, no governo e naquelas que dizem respeito à vida de todos”. Durante essa reunião, reafirmei minha paixão por políticas públicas. Eu realmente gostei dele.


Também visitamos a Petrobras e tivemos uma reunião sobre políticas com o Dr. Roberto Castello Branco (CEO da Petrobras). Ele explicou a estratégia que a Petrobras está implementando e compartilhou sua compreensão dos problemas sociais no Brasil. O Instituto de Segurança Pública (ISP-Rio) analisou a ameaça à segurança pública que o Rio está enfrentando e suas contínuas tentativas de incorporar dados ao trabalho policial como uma estratégia eficiente na tomada de decisão. Com a Prefeitura do Rio (Unidade de Nudge), vimos como a economia comportamental é usada nas políticas públicas.


Depois desses dias no Rio, fomos para Manaus e pegamos um barco para a Floresta Amazônica. Ficamos no alojamento em Acajatuba e longe da vida moderna por quatro dias. Francamente falando, tudo na Amazônia era como um sonho para mim pois era o oposto do que eu vivia antes. Provamos e produzimos doces, frutas e geléias criados pela população local. Eu comprei os quatro sabores de geléia. Eles eram tão gostosos! Nosso guia Gabriel e sua família nos mostraram as ervas que plantam, como fazem tapioca, tucupi e remédios locais, e nós mesmos os experimentamos. Pescamos piranha, mas apenas Jin pegou uma. Elas eram tão espertas e adoravam salsichas, o que é bastante surpreendente pois eles deveriam ser vegetarianos e só comiam plantas e frutas. Também nadamos no rio Amazonas. Foi assustador no começo, mas tão divertido!!! Brincamos com botos cor de rosa e tentamos pescar um peixe gigante com metade do meu comprimento. Os golfinhos são tão fofos. Eles ficam curiosos sobre o barco e as pessoas! Os golfinhos cinzentos são opostos. Eles preferem ficar longe das pessoas.

Caminhamos pela selva e aprendemos sobre algumas plantas. Por exemplo: o tronco de uma planta pode ser usado como S.O.S quando você se perde. Você também pode escrever em uma folha usando seu caule. Se você precisar de comida, também poderá comer o verme como proteína (tentei). Também aprendi a fazer uma coroa e o arco e flecha com uma folha. Vimos as estrelas, o nascer e pôr do sol. Prestamos serviço comunitário à comunidade de Acajatuba. Pintei a casa e cortei madeira para fazer um vaso de flores. Isso foi cansativo.

Muitas das coisas que fizemos durante esta viagem foram as primeiras da minha vida, portanto são muito significativas e inesquecíveis. Estando longe da cidade, vivo e em contato com a natureza, pude viver uma vida fácil, sentir paz e riqueza em meu coração e tive um sentimento de gratidão. Pedimos tantos recursos da natureza e tantas pessoas trabalham juntas para produzir o que temos na cidade, no entanto é tão fácil não valorizar e se sentir insatisfeito. Ao me engajar na vida cotidiana das pessoas locais vi o quanto elas estão trabalhando para criar uma vida melhor para si e suas famílias, sua conexão e gratidão à natureza, sua compreensão da verdade da vida.


Do meu ponto de vista, viajar não é apenas uma maneira de ver o mundo, mas, mais importante, uma maneira de olhar para si e se descobrir. Estou tão feliz por não ter perdido esta grande oportunidade de conhecer este país incrível, de me encontrar com a população local e de entender sua cultura e estilo de vida.


O país e seu povo experimentaram muita coisa no passado. Mas eles são sempre positivos e otimistas, desfrutando e ganhando energia a partir do momento presente em vez de se preocupar com o futuro ou ficarem incapazes de se libertar do passado. É isso que eu preciso pensar profundamente e aplicar na minha vida diária. Além disso, eu tinha uma ideia clara sobre o que é o Brasil, qual o seu tamanho, qual a diferença entre suas regiões, qual a riqueza do país em sua cultura e história. Foi uma jornada incrível em um país incrível. Eu realmente espero que mais pessoas venham ao Brasil para obter esse tipo de experiência em primeira mão. Espero também que o Brasil se torne próspero no futuro próximo e acredito que eles sejam capazes de fazê-lo!

Caros Eliana, Juan e Andrés, muito obrigado por organizar tudo! Foi realmente uma experiência única na vida! Temos muita sorte de tê-los em nossas vidas! Muito Obrigata!


Yuwen Xiong

MPP'21, ex-estagiário no PNUD China

Texto traduzido do original em http://www.lamuchicago.org/trip/for-an-unforgettable-journey-in-brazil/